Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

Está demorando eu te esquecer

Nossos olhares se cruzaram. Ficamos nos olhando durante um minuto. Sim, eu contei cada segundo. Sabe quando a boca ri sozinha? Então, aconteceu comigo. Você se aproximou. Deu um sorriso tímido e ofereceu a cerveja, que ainda estava fechada na sua mão. “Eu não bebo”, falei. Abaixei a cabeça e ao levantar, nossos olhares se encontraram de novo. Perguntei seu signo. “Faz diferença? Não acredito em astrologia”, respondeu você. Dei meu sorriso mais frouxo, sem perder o mistério.             A gente se distraiu, se divertiu, se encontrou e, principalmente, desencontrou. Vivemos. Experimentamos. Erramos, mesmo querendo acertar. Eu quis acertar. Se você não quis, tudo bem. O grande problema é que você é raso e eu sou totalmente profundidade. Já cheguei a ponto de aceitar qualquer coisa para estar junto de alguém. Não faço mais isso. Prefiro sofrer com o fim. Melhor sentir essa dor intensa, que chega a ser física, do que me comunicar em vão por mensagem subliminar ou sinal de fumaç…

Antes do fim

A gente sempre tenta arrumar disfarces para entender os outros. Dizemos a nós mesmos que fulano está sem tempo, quando não nos responde. Que é só o jeito de alguém, não saber se entregar ou até que a pessoa só está confusa e não sabendo lidar com os sentimentos novos. Quando a gente gosta e estamos emocionalmente envolvidos, ficamos cegos e dê um jeito que podem nos destruir, entretanto aceitamos com os pretextos clichês que criamos. A gente prefere fingir que tudo vai se encaixando, mesmo quando as coisas não estão bem. Você está vendo que vai se machucar, mais cedo ou mais tarde, que vai se desentender e não terá conserto. Que as coisas ficarão com aquele gosto amargo, memórias traiçoeiras e músicas odiadas, mas faz o que? Continua insistindo na relação. Segue construindo aquela história com farpas. Minha intuição grita que somos instantes e não presença constante, ou seja, tenho que ir, tenho que deixá-lo ir, pois o que tínhamos que viver juntos, já vivemos. A gente precisa aprende…