Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Como eu te quero

Queria ter conhecido você em outra circunstância, talvez no meio de uma balada sem graça, num show da sua banda favorita ou num evento qualquer. Onde poderia ter chegado em você, ter esbarrado do nada e pedir seu telefone e até, quem sabe, te roubado um beijo.  Devia conhecer você num ambiente onde a amizade não acontecesse antes da atração e eu não me visse obrigado a me segurar, pra não te assustar. Já faz um tempo que eu quero você, te vejo por perto e quero seu toque. Recolho meu afeto, pra não te espantar, mas quando nossos olhos se cruzam, você sorri, me confundindo e aumentando minha vontade, de lhe pedir ao menos um abraço.  Você é o sentimento que eu tenho vontade de gritar, dizer que é lindo te ver dormir e questionar, se eu devo ficar ou se é melhor sair correndo. Eu nunca sei o que você quer. Penso em te ligar, mas tenho medo de você relutar em atender. Quero que caiba em mim, que me cause as coisas mais lindas, até porque como diz a canção, seria estranho se eu não me apaix…

Meu cobertor

Sabe, eu nunca achei que o amor poderia ser fraco. Se for amor, tem que ser grande, como um cometa atravessando o céu e sem aviso de chegada. O amor tem que chegar como um trem desgovernado, que parece que não vai parar por nada. Se for fraco, não merece que a gente perca nosso tempo, ainda mais se a gente for se afastando do que o coração quer.  E por amor, a gente desperta até o espírito de aventura. Enfrentamos dilemas, diferenças, problemas e perde o medo de dizer qualquer coisa. Não podemos encomendar à pessoa exatamente como a gente quer, mas podemos nos adaptar e driblar quaisquer complicações. Afinal quando a gente quer que a vibe combina, o beijo se encaixa e percebe-se que sem a coisa amada, não dá mais pra viver. Assim que sinto em relação a você, conto os dias, as horas pra te ver. E que vontade de você, debaixo do meu cobertor.  A vida já me deu você e eu não podia querer alguém melhor, mesmo o amor não vencendo, meu coração é seu. Cuide dele e deixe tudo melhor, prometo fa…

Último Romance

O problema foi ler tantos livros de amor. Foi ver os filmes e querer um amor igual. Foi à espera daquele amor, no primeiro encontro, como na novela. Quase sem querer, descobri que idealizar o amor é o que nos faz sofrer, faz a gente se iludir e se decepcionar. Percebi que quero um amor de verdade, um amor frio até, sem devaneios eloquentes. Quero amor real, que pode se encontrar numa esquina qualquer. Preciso sentir suas mãos adormecidas nas minhas e não apenas ouvir poemas já escritos. Que beije minhas costas nuas, ao invés de declamar trechos das canções.  É tudo que quero de um amor de verdade. Não quero frases clichês, não quero pré-determinados porquês. É preciso aquele amor, sem dependências, onde um ao outro, fica livre para ir embora, caso queira. E, o melhor, que eles nunca cogitam essa hipótese. Quero viver um amor maior, que qualquer história já escrita. Escrever nossa história, desde o café, em que nos conheceremos. Sobre atrasos, encontros que não aconteceram, lugares e m…

A saudade que sinto

Vejo você do outro lado da calçada com aquele sorriso meio bobo, que faz minhas pernas balançarem. Você como sempre, vai chegar meio tímido, e eu vou te puxar pra perto. Não vai precisar de palavras. Vai querer se afastar por nervosismo ou preocupação, e eu não vou saber fazer a menor diferença, de que me incomodo com isso.
Sinto o cheiro do teu perfume de longe. É o mesmo que você usava na esquina, dos meus sonhos, quando nos esbarramos pela primeira vez. É o cheiro que eu vou associar a sua chegada, seu carinho e amor. Penso que vou me entregar ao prazer delicioso de passear pelo teu pescoço antes do nosso beijo. Puro devaneio.  
Já escuto as nossas briguinhas. Eu não suportando suas bagunças e o teu jeito desastrado. Vou escutar o teu pedido de desculpa e aceitar imediatamente, mesmo sabendo que vai acontecer tudo de novo. E de novo. Essas briguinhas de amor serão ternas e eternas. É normal essa saudade do que nunca escutei, nunca vivi e de quem nunca vi? Nem sei
Sei que nunca te vi,…