Mais um poema

É incrível como uma única pessoa pode nos decepcionar diversas vezes. Cada vez mais, enxergo a horrível pessoa que é. Não nego que já me fez bem, era até bom nos tempos que eu tinha a ilusão de ser amado por ti, pena que o tempo mostrou que você não ama ninguém, só a si mesmo. Bem, por acabar sempre lembrando desses momentos, transcrevo um dos poemas que burramente lhe fiz, imaginando que poderia um dia dedicá-los a ti. Quanta ingenuidade...

ELO (Delduque Avelino)

Quando conheci você
E me apaixonei
Imaginei
Que meus sonhos
Ganhariam cor
Fantasiei
Que ao seu lado
Não saberia mais
O que era a dor
Não sentiria rancor
E só viveria
Os mais lindos contos de amor
Acreditei por diversas vezes
Que iria dar certo
Pois até nos nossos nomes
Tínhamos o D como elo
Mas foi em vão
Tudo foi um erro
Uma ilusão
Precipitei essa tal paixão
Que a você
Não despertou
O estúpido cupido
Só a mim flechou
Nem a química da amizade
Intacta ficou
Pois sentimentos são como cristal
Mesmo colando os cacos
Não volta a ser igual
Mas no fundo
Sei que é melhor assim
Cada um por si
Cuide-se e seja feliz
Mesmo sem mim

Nada mais tenho a dizer...


Comentários

Tayane Scott disse…
Colega chorei com o poema e disse tudo. Ainda mais porque eu estou sofrendo por alguém que tem D no nome. Profundo para ser ler no dia de natal. Mas pense pelo lado bom 2010 chegando e com eles novos ares, novas esperanças e,CLARO, novos amores. Obrigada pelo carinho e pelas visitinhas em meu blog. Feliz natal e um ótimo 2010! ♥
Leonan disse…
Gostei de sue poema muito bunito assim como a pessoa q vc é.

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim