Em meio à folia... a solidão!

Como entender tal sentimento que parece nos perseguir aonde vamos?

Em pleno carnaval percebo que minha situação é pior do que pensava. No meio da música, da muvuca, dos diversos casais se beijando; você não saía do meu pensamento. Mesmo sabendo que vive sem nem saber que existo. Imaginei que você seria aquele que causaria o frio em minha barriga a cada encontro, me deixaria na expectativa de um telefonema, de uma mensagem, me faria sonhar e planejar um futuro. Mas não, você me olhou, não estendeu a mão e a mim só causou a solidão. Hoje choro em plena folia, olhando o mar que parece estar dividindo nossas vidas e as ondas o levam cada vez mais distante de mim.

Aceitaria de você a mais falsa esperança que pudesse dar, pois prefiro te ter por um instante do que nunca ter nem sentido o seu verdadeiro abraço. Mas enfim, não sei se a dor vai durar, entretanto tenho consciência que desisto de você. Não agüento mais sofrer, buscar em outros seus traços perfeitos e os lábios que sonhei. Aprendi que quando um não quer dois não ficam – o burro do cupido, insiste em flechar um só coração – então a convicção me diz pra acordar. Preciso ver que o sol ainda vai nascer, as flores vão desabrochar, afinal o mundo não vai parar porque não tenho você. A cada dia mais vejo que o amor ideal é uma falsa ideologia, é história de contos de fada, novela, romances literários. A pessoa ideal (você) não está na esquina me esperando, nem olhando em minha direção, pelo contrário está no caminho inverso, ficando com quantas pessoas puder – afinal é carnaval – não se preocupa com amor, quer quantidade, ser pegador, então vá. Se será feliz não sei, até porque será que dá pra ser feliz causando a tristeza de outra pessoa? Nesse caso a minha tristeza.

Sei que é até inútil da minha parte estar aqui, pois escrevo em vão, não lhe causará nenhum arranhão sequer. Quero, tenho, preciso desistir de ti, antes que tenha que desistir de mim mesmo. Mas ainda não é hoje, deixo a desistência pra amanhã, pois por mais que eu não deseje, sempre amanhece um novo dia.

“Eu tento te esquecer. Mas tudo que escrevo é sobre você...” (Cartas pra você – NX Zero)

P.S.: Tati e Bella apesar daquela solitária segunda feira carnavalesca, nossa viagem foi ótima. Adorei cada momento com vocês. Obrigado por dividi-los comigo!!! Amo muito vocês!!!

Comentários

Simplesmente choro...

Como diria o padre Fábio:
"O inferno talvez seja a impossibilidade de mudar as circunstâncias ."

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver