Poema contemporâneo

Hoje sentei para escrever, querendo atualizar esse blog e nada vinha. Indo aos velhos rascunhos no antigo caderno, deparei com um poema que escrevi no ano de 2009, mas que ainda está tão presente em minha vida, por isso o transcrevo abaixo... espero que gostem dele e toque o coração de vocês, assim como o meu!

Meu Dia (Delduque Avelino)

O céu nublado
O dia passa arrastado
Não encontro mais sentido
Meu coração te clama
Mesmo quando estou dormindo
Não consigo virar essa página
Você interrompeu meus planos
E sonhos
Disse que nosso romance
Foi um pleno engano
Mas em minha memória
Você está gravado
Em minha pele
O seu nome ainda está tatuado
Não esqueço nossa história
Pois você querendo ou não
Ainda te amo
A ponto de renunciar a minha vida
Mas não foi suficiente
Na verdade nada foi
Pois surpreendentemente
Você disse não
Mesmo diante dos meus presentes
Seus sentimentos estavam ausentes
E não mais que de repente
Fez eu despertar
Acordar de um súbito desejo
E enxergar
Que era impossível
Existir nós dois
Mas nesse dia percebi
Que existe o depois
E apesar de qualquer dor
Sempre amanhecerá um novo dia
Feliz ou não
Será o meu dia
E com ele
Uma nova oportunidade de vida

*--*

Comentários

Sempre há um novo dia...
Amei o novo template...Bem do campo, menino casto! kkkkk...
Te amo sempre!
Mariana Romão disse…
Olá!
Amei a forma como você escreve: com o coração. Melhor maneira de expressar não há.
Obrigada pela visita e pelo link para o meu blog. Beijos!

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim