Flores, Amores e Blá Blá Blá

Sempre desejei encontrar o verdadeiro amor. Aquele que me faria perder os sentidos. Entretanto ele ainda não apareceu. Acredito que todo mundo quer um alguém para amar, mas já me deparei com pessoas que percebia-se que tinham medo desse amor. Eu cresci ouvindo anedotas, clichês, chacotas e me deparei com diversas frustrações. Tantos romances que me desconstruíram, já até perdi a conta. As mesmas histórias, os mesmos enganos. Como um seriado em que tudo se repete, exceto o protagonista. Quando nos apaixonamos, tudo são flores, amores e blá blá blá. Mas no meu caso, não ouve somente isso. Ainda lembro as angústias, a solidão e a dor. E até as pseudos tatuagens em minha pele. Talvez ainda estejam até visíveis nos meus olhos. Os buracos que cavei, nem quero rever. Não esqueço as vezes que rasguei minha alma e como um suicida pus fogo nas minhas próprias opiniões. Porém agora percebi que não gosto de masoquismos. Não quero mais fazer da minha vida sentimental uma aventura radical, começo a ver que na verdade tenho medo de altura. Não posso mais viver nas nuvens. Enxergo agora que há gente que escolhe sorrir ou chorar. E a partir de agora decidi que quero sorrir. Se for para conhecer alguém, tem que valer a pena. Meu coração já está reabilitado para os novos amores e blá blá blá que vierem, entretanto está blindado para as quimeras que possivelmente surgirão. Não desejo mais viver os desagradáveis episódios. Com o corpo cheio de esperança e planejando um belo futuro para logo mais, juro felicidade a mim. Sem devaneios, sem amores passionais. Depois de todo mau tempo, verei um novo alguém chegando e será com Deus quiser.

Comentários

Mariana Romão disse…
"Não quero mais fazer da minha vida sentimental uma aventura radical, começo a ver que na verdade tenho medo de altura. Não posso mais viver nas nuvens."
Que lindo! E forte!

O problema de viver nas nuvens é subir sozinho... e aí quando você cai, é sozinho também, sem rede de proteção.

Espera em Deus que tudo dará certo!
Bjos
Tayane Scott disse…
Você se identifica com meus textos lá e eu me identifico com os seusa qui. Engraçado né? Já disse isso em um comentário, mas preciso repetir: como é possível que duas pessoas tão diferentes, em mundos tão diferentes vivam exatamente as mesmas coisas? Como a gente pode se sentir do mesmo jeito? Nessas horas eu tenho a certeza que a história de que ninguém sofre sozinho é a mais pura verdade. Mesmo quando a gente não pode ver, há alguém compartilhando a nossa dor e de modo indireto, nos ajudando a superá-la. E quer saber mesmo? Você não me ajuda a superar as minhas só de modo indireto. Seus textos fazem isso e muito bem.
Por isso e pela pessoa especial que você é, você merece e vai encontrar alguém que te ame tanto quanto você precisa e que te ame do jeito certo. E como diria Katy Perry: depois do furacão, sempre vem um arco íris. Estou SEMPRE torcendo por você!

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver