Inventor de amores

Quantas vezes acreditei que a pessoa certa entraria por essa porta?! E por conta dessa ansiedade, por diversas vezes inventei amores. Todas as noites desejei ouvir, antes de repousar, um sincero amo você! Cansei de uma felicidade repentina, cansei de ser uma folga na rotina, uma fuga, um parêntese. Quero ser protagonista de uma história de amor, da minha história de amor. Chega de breves romances, de ficadas sem futuro. Do que adiantou-me uma noite sexualmente proveitosa se ela não acabou no “bom dia”?!

Não sei porque tantas vezes me iludi, por um olhar podia ter desistido. Tantos e-mail’s esperei respostas. Quantas vezes amei sem ter nada de volta?! Muitos sonham com uma vida financeira boa, mas eu não. Dinheiro paga o aluguel, o gás, a luz. São importantes sim, entretanto não será se não tivermos o amor. Ainda espero pelo verdadeiro amor, aquele com letra maiúscula. Que me faça declarações, tire meu sono, me faça rir – sem contar piadas – faça eu me sentir feliz apenas com um abraço. Mas esse desejo não está mais tão latente em mim. Como o tempo desacreditei nesse eterno amor. Conhecendo alguém invento todo um amor em minha mente, mas que na verdade não passa de uma consumação, um lance e nada mais. Estava sorrindo para amanhã novamente soluçar, chorar, sentindo um enorme vazio em meu peito. Minhas mãos tentam alcançar em vão aquele que acreditei que ia me dar o mundo que sonhei, que preencheria o meu arco-íris. Tantas palavras ditas em vão. Para que me aquecer na noite fria, se na manhã seguinte não seria meu raio de sol?! O tempo só tende a passar. Ainda não aproveito os dias a dois, não tenho alguém me esperando de braços abertos, ainda não alcancei o céu. Meu castelo de sonhos desmoronou. No meu conto de fada, quem vence no final é a bruxa cruel. Os dias lindos e claros são imperceptíveis a mim, se o tal amor verdadeiro existe e se tenho direito a ele, não sei. Só que não fico mais esperando. Se vier será bem vindo. Não creio mais em mágica, muito menos em príncipe encantado, entretanto quem sabe um simples mortal possa ser quem esperei por todo esse tempo. Não importa a forma, nem nome, muito menos sobrenome, aparência então nem ligo. Só quero que faça minha voz se calar, com um verdadeiro olhar. As cartas manuscritas que nunca enderecei ainda estão guardadas na gaveta. Se finalmente acontecerá, só o tempo poderá dizer, mas a verdade é que no fundo ainda acredito em ter meu final feliz, selado com um lindo beijo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim