Amar Alguém

Acabo de ler "Malu de Bicicleta" do escritor Marcelo Rubens Paiva e após ler o derradeiro ponto final fiquei com a sensação de realmente nunca sofri tanto por amor assim. O livro narra a história de Luiz, um namorador incorrigível acostumado a ficar com três, quatro num só fim de semana, até se apaixonar perdidamente por uma única mulher, Malu. E então começam a viver uma bacana história de amor, que causa inveja ao leitor, até que a desconfiança se instala. Claro, que não revelarei o fim da obra. A análise que faço é que só percebemos que estamos diante do tal amor verdadeiro, quando o perdemos. Foi tarde demais para Luiz perceber que Malu era o amor da sua existência. Acreditamos naquela falsa verdade que se tiver que ser será. Até concordo parcialmente, entretanto se não fizermos nossa parte, não será. O livro dá força para lutar pelo amor, estar aberto a mudar hábitos, gostos, vontades, afinal amar é ceder. E então depois que o outro bate a porta, num sinal de adeus que percebe-se que era a pessoa certa, o amor que se encaixa no "para sempre". Recentemente li também uma crônica do Arnaldo Jabor onde ele sabiamente escreve que quando um relacionamento chega ao fim, não significa que o mesmo não deu certo, deu sim durante o tempo que tinha que dar. Jabor afirma ainda que na vida pode se ter vários amores. Não sei até que ponto concordo com essa última afirmação, só sei que amar sempre vale a pena, só temos que dar valor a esse amor não importa o tempo que ele dure. Nessa mesma linha, há uns meses li o romance "Um dia" do David Nicholls e dia desses fui assisti ao filme. Na obra Emma e Dexter estudaram na mesma faculdade. Ela sempre fora apaixonada por ele. Na noite de formatura, eles acabam ficando. Porém Dexter, assim com o Luiz criado por Rubens Paiva, não se prendia a ninguém, ficava - e não se apegava - com todas. Ele não a amava, mas queria manter contato como amigo e ainda narrava a ela suas peripécias casuais e ela sempre o amando em silêncio. Até o dia em que ele - finalmente - se dá conta que Emma é o grande amor da sua vida. E quando vivem esse amor, o irônico destino faz o inevitável. Ou seja, não podemos deixar de seguir nosso coração. O amor não sabe esperar, é pra ser vivido intensamente. quando aparecer. Afinal é tão bom amar alguém.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim