É tanta saudade...

Sinto meu coração latejar, meu peito doer. O dia nublado, com fortes rajadas de vento me faz sentir falta daquilo que já me fez bem. O passado insiste em me visitar. É estranho lembrar e relembrar o que foi vivido. Sinto saudade, saudade que aperta dentro da minha alma. Não é saudade de alguém especifico, nem de fulano, saudade do que passou. Dos beijos ganhados, abraços apertados. Muitas das vezes sinto em mim uma vontade exacerbada de reviver o que o vento levou. Sentado na cama, fico assistindo tudo como se fosse um filme, novela, ou até seriado, porém eu sou protagonista da história. Estou só, não tem quem tire meu sono, minha alma não está plugada a outra. Pra ser sincero, até gosto desse reviver, dessa sensação de deja vu. Não estou melancólico, por hoje a solidão nem veio me visitar, só queria poder voltar o tempo, parar o mesmo naquele beijo. Gosto de relembrar, sentir falta, ver a saudade pulsar dentro de mim, queria poder reviver tudo que foi bom. Mas sabe que talvez seja melhor assim, pois se hoje tudo é apenas saudade, é por que não era pra ser, o mesmo amor que nos faz bem, traz momentos bacana, fere, nos faz ficar sofrendo. Um dia toda a saudade, será para o verdadeiro e derradeiro amor. Entretanto mesmo assim, talvez eu sempre sinta falta, afinal quem nunca sentiu saudade do que já se foi. Portanto não tenho problema em voltar o filme, revive em minha mente tudo que já foi escrito em meu caminho, chamado de vida. Relembro o passado, visito o que está escrito e permito que a saudade se instale sempre que preciso.

Comentários

Diego Dittrich disse…
Reviver o passado... eu sempre o revivo. Às vezes, sinto-me estagnado, preso a algo que nunca vai voltar... é frustrante mas, ao mesmo tempo, me faz bem! É como vc descreveu nesse belíssimo texto! Encerrando, com chave de ouro: "permito que a saudade se instale sempre que preciso."

Parabéns, Del!

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver