Ela / Ele

De repente é aquele olhar, aquele que faz toda a diferença.

Ela o quer e o acha inteligente.

Ele curte seu sorriso, meio indiferente, outrora indecente.

Ele afirma ser confiável e gentil. Ela acredita que ele é o que sempre pediu.

Ele diz que veio pra ser exceção. E no coração dela brota a paixão.

Ele vem sem cartilha. Ela já vê nele um pai de família.

Ele que é forte, sarado. Topa amar e ser amado.

Ela quer se entregar. Abraçar. Está pronta para amar.

Os dois lábios se encontram são reais. É como se o tempo parasse nesse instante, nesse encontro.

E uma relação intensa começa, pois ele a quem, ela o quer.

Que maravilha. Empate técnico.

Dessa vez parece que o cupido fez a coisa certa.

E sabe o que é melhor disse tudo?!

Como esse fadado encontro, tanto ele, quanto ela percebe que as expectativas e desejos se rompem.

Mudam os sonhos, opiniões, necessidades. Realmente para o amor não existe regras.

Ela admite que ele não era o que procurava. Ele não tem os padrões que ela especificava, mas as mãos se encaixam e ela não se vê longe os afagos dele.

Ele tinha erguido uma barreira, um mecanismo de defesa. Amar não estava em seus planos.

Até que depois de um esbarrão, não se vê mais sem a tal da paixão.

E agora é assim. Eles são um só. Eles vêem o mundo cor-de-rosa.

Vivem e revivem momentos felizes e será assim até Deus permitir.

O amor ainda existe sim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver