Romeu

Preciso entender, ou melhor, saber como fazer. Como controlar essa vontade de gritar seu nome, de ficar esperando a hora certa de te ligar e te mandar uma mensagem a todo momento. Estava começando a imaginar tudo que iríamos viver juntos, mas a danada indecisão resolveu se instalar por aí. Não te quero longe, ouvir sua voz é preciso. Esse tal de “tempo” atrapalhará tudo, pois enquanto estiver longe viverá coisas que não me comunicará, nem saberei mais sobre os seus dias e nem você do meu. E assim o distanciamento vai ficando presente. E se um dia por pura ironia da vida nos encontrarmos por acaso nesse imenso Rio de Janeiro, falaremos apenas um “oi, tudo bem, como vão as coisas?!”. Aquela paixão intensa virará um “bom dia”. Assim como Julieta, perdi o meu Romeu. Desejei tanto ter encontrado você, bem que tinha me assustado por estar tão feliz. Nem sei se teve noção do quanto estava me fazendo bem. Pena que eram momentos distintos a ambos. Mas penso até que um dia vamos nos reencontrar e que tudo será mais claro para ti, só espero que não seja tarde demais. Há coisas minhas que ainda não sabe. Os objetivos e sonhos que pretendo alcançar e que já o colocava ao meu lado como parte de mim. Mas é assim, caminho em direção ao mar, o mesmo que olhei e fotografei ao seu lado e que agora me transmite paz. Como se Deus mandasse eu ter calma, que quem sabe um dia a nossa hora vai chegar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver