Imprevisível

Hoje quando acordei senti uma enorme vontade de admitir que nunca soube nada do amor. Já amei, me apaixonei, me entreguei e o que restou?! Nada! Ou melhor, restou as lembranças, meus aprendizados. E sabe o que me conforta?! Que apesar de tudo, ainda tenho sonhos. Ainda acredito no amor e o busco incansavelmente. Ainda quero muitos abraços, conversas intermináveis. Ainda creio que só o amor pode nos fazer feliz. E o amor companheiro, verdadeiro. Não apenas aquele que nos faz mudar o status do facebook. Sei que meu coração já está como uma colcha de retalhos. Cheio de linhas, amarras, tanto nós, entretanto ainda dá pra renovar, pra retalhar mais. Porém agora quero um amor imprevisível, sem repetições. Sem aquela de ser feliz por um tempo, e depois dizer adeus. Não quero com isso dizer que acredito no para sempre, mas preciso de mais que breves sorrisos. Quero muito.  E finalmente percebo que nunca posso querer pelo outro. O retorno se faz necessário, por isso preciso do imprevisível, de momentos nunca vividos. Por isso estou de coração aberto, pronto para novas coisas acontecerem. Para o sol brilhar mais forte e renovar minhas esperanças. Já cresci, criei meu mundo, tenho ideias e planos, falta encontrar quem dê sentido a tudo. No aguardo!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim