Redescobrir

Hoje acordei com aquela sensação de fracasso. Tenho me questionado tanto, em porque não sou forte. Porque não para pra pensar em mim. De vez em quando, mesmo sem um motivo, dá uma tristeza, sem razão alguma uma imensa vontade de chorar. Em alguns dias a solidão dói, machuca, mas cheguei ao ponto que nem luto mais contra, pois aprendi que ela passa, ou melhor, para de arder. A maior mentira que nos contaram é que o tempo cura tudo, por vezes não cura nada. Ele fecha feridas, mas que viram cicatrizes que insistem em latejar nos dias de chuva. E descobri que o tempo nada cura, pelo fato de que ele não apaga o que foi dito, não supera o que foi vivido. A gente até supera, mas não esquece tanto o que foi bom e o que foi ruim. E pra piorar, não tenho memória curta. Não esqueço nomes, nem datas, muito menos quem me estende a mão e mais ainda quem as esquiva. Cansei dos conselhos furados de como devo agir, de como conduzir minha vida. Tenho meu jeito errado, mas que é o meu jeito. Todos acham que me conhecem, que sou previsível, mas enganam-se. Poucos me desvendam. Poucos conseguem ver além da minha alma. Sou do tipo que realmente costuma expor os sentimentos. E não disfarço nada, não dou risadas se estou triste, nem digo que está tudo bem, se não está. Todas as vezes que sofri com meus amores errados, minhas ilusões e paixonites enlouquecidas e, ainda, com minhas desesperadas vontades souberam, entretanto tenho procurado me resguardar. Fechei-me um pouco pra tudo, para o resto. Tenho dito sim pra mim, preciso me redescobrir. Só quero acordar quando souber o que sinto e entender o meu jeito, que assusta alguns, que surpreende outros e que é aclamado pelos imortais. Ando perdido no meio do caos que sou, ando tão a flor da pele. Tenho andando perdido. Os pequenos gestos me conquistam de tal maneira. O mínimo me agrada, em compensação como um vidro, quando pisado, tenho cortado. Ando sensível a ponto de tudo machucar, coisas que passariam despercebidas têm me ferido ao extremo. Hoje mais do que nunca dou importância ao que acontece. Quero que seja bom, não importa se um dia ou uma vida inteira. Esse é meu jeito e tenho me aceitado bem assim. Se eu gosto, gosto. Se digo que quero, é porque quero mesmo. Não tem meio termo, cansei de aceitar metade, chega de míseras partes, quero que seja inteiro e isso serve para amores, amizades, os colegas e o que mais for. E se achar que sou exagerado, é um direito seu. Deixe pra lá, eu e esse meu estranho jeito de ser. Pois até eu redescobrir uma nova maneira de ser, vai demorar ou talvez nem ocorra, afinal já disse que o tempo nada cura, então comigo não será diferente. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim