Ponto Final

Tenho pensado nas noites em claro que passei, nas olheiras e nas lágrimas em vão derramadas. Quantos sonhos perdidos por você, quantas coisas deixei de fazer. As dores de solidão por esse amor não correspondido. Meu coração andou despedaçado, sofrendo com sua rejeição. Durante tanto tempo, estava como um museu, de portas escancaradas, esperando sua visitação. Supliquei pelo seu amor, por um mísero abraço. Sujeitei-me a ser uma simples opção, aquela que você procura quando está a fim, que sabe que estará ali e depois deixa de lado como uma criança faz com o brinquedo, ao crescer.
Quantas vezes o vi e você nem um “oi” me disse. Foi como se nem tivesse me conhecido um dia. Eu sentia um vazio, um silêncio sombrio, como numa madrugada de domingo. Tenho lembrado a importância que não me dava, das mensagens ignoradas, das desculpas esfarrapadas, do tempo que perdi imaginando você comigo e por vontade própria. Esperei ser um dia, ser o seu caminho de volta. Esqueci que podia ser feliz, ser bem melhor, sem você comigo.
Mas agora, me libertei. Aprendi a não olhar para trás. Não vou ficar te esperando, lhe dediquei ternura e afeto, tempo suficiente. E você será como um vento que passou. Como o Titanic que afundou, e hoje é apenas lembrança. Depois de uns tempos, será aquele assunto que não mais vou falar. A partir de hoje, coloquei um ponto final. Agora quero alguém que me mostre o meu melhor, que faça tudo ao meu redor, ficar bom. Quero sentir uma imensa paixão, a adrenalina da sedução e até mesmo a incerteza da vitória, afinal o futuro é uma tela em branco. Quero apenas ser essencial a alguém. Cansei de ser apenas umas vírgulas para os outros, chegou minha vez e, merecidamente, de ser um ponto final!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver