Chuva de pensamentos

Sentado à janela do quarto, encarando essa noite fria e melancólica, percebo que ainda erro ao me importar mais com sua felicidade, do que com a minha própria. Eu só queria cuidar de você, estar ao seu lado, porque enquanto uns apenas dizem que te ama, eu sei te amar. Disposto a despedaçar todo meu coração, para que ele possa se encaixar ao seu. Estranho é que eu não escolhi gostar de você. Não era pra eu me apaixonar, mas daí você sorriu e estragou tudo. E ainda veio com esse abraço que faz toda diferença.
Os pingos da chuva não cessam e nessa madrugada cinzenta, me fez enxergar o quanto queria que tudo tivesse sido diferente. Mas você não se apaixonou como eu. E cansei de insistir, de pedir em vão ao destino pra te ter. Não vale a pena sofrer, brincar de correr atrás das pessoas se torna sem graça, quando só você é quem corre. Se o amor não é recíproco, é insistência. E essa solidão que deixou, não posso curar com uma aspirina. 
Você me despertou um sentimento tão certo, tão bonito e, ao mesmo tempo, tão dolorido. Minha necessidade era te amar e a sua, me deixar. Tive que aceitar que não era a mim que queria. Ver seus históricos nas redes sociais e não me importar. Deve ser bom não gostar de alguém. Mas logo algo bom acontecerá e começarei a traças novos pontos e você terá ficado pra trás. Apenas uma lembrança do passado. Pois sem criar expectativas, encontrarei quem ajude juntar os pedaços da alma. E sem pretensão, vai fazer eu não sentir falta do seu nome aparecendo na tela do meu telefone. Não dizem que é quando menos esperamos e deixamos de procurar que o amor aparece. 
Olho a cidade iluminada, neblina acompanhando o clima calmo e acredito mais ainda nesse clichê. Quando for pra ser, será! E como escreveu (Mário) Quintana, vou morrer de tanto amor e mesmo assim continuarei vivendo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim