Mente brilhante

"Cada um de nós é a soma dos momentos que já tivemos. E de todas as pessoas que conhecemos. E são esses momentos que se tornam nossa história". Essa frase é de um livro/filme, que estava lembrando no momento, chamado "Para sempre". Aos que não conhece a história, que é inspirada em fatos reais, é sobre um casal muito apaixonado e com poucos meses de casados, ela sofre um acidente que causa lesão cerebral, ficando assim sem a memória de curto prazo. Ou seja, ela se lembra de toda sua vida, exceto do seu grande amor, que fez parte dos últimos cinco anos que viveu. E além de esquecer o marido, ela sente-se ligado ao ex-noivo, o qual não lembra ter se separado. E o marido, ao invés de desistir da esposa, que agora o vê como mero estranho, luta de todas as formas para conquistá-la e ter novamente seu amor. 
E apesar, de todo esse enredo, hoje não quero falar de amor. Só lembrei de como essas simples frase, é de uma sabedoria sem tamanho. Sendo assim, se o apagar de nossa memória interfere tão fortemente no que somos e sentimos, não é difícil acreditar, que somos aquilo que recordamos. Sou o lugar que nasci, as pessoas com quem convivi e aquelas as quais tive como exemplo, aquelas que admirei. Sou as coisas que fiz e faço. Cada atitude, mesmo a mais simples e banal, define quem sou hoje. Sou aquilo que vivi, por onde passei e com quem esteve comigo. Sou todas as conversas, brincadeiras, risadas, descobertas e choros, durante minha vida. Sou os olhares, abraços, gestos e momentos marcantes. Sou os livros que li, filmes que vi, frases que escrevi, músicas que escutei e dancei. Sou todas as situações que enfrentei e, até aquelas que por medo, recuei. Cada detalhe, bons e ruins, formaram minha pessoa. Cada palavra amiga, cada carinho, cada ensinamento, cada fora e término, cada oração foram fundamentais pra chegar até aqui. Por isso, agradeço cada amigo que tenho, cada um que disse te amo, cada pessoa da minha família que eu amo - uns da minha maneira - mas amo. Afinal, se eu tivesse nascido em outro lugar, convivido com outras pessoas, feito escolhas diferentes, experiências distintas, eu não teria esse sorriso, não teria essa criação e, então, não seria o que sou hoje. 
A vida é isso, um trem numa constante viagem. E que em cada ponto que passa, acrescenta algo no bagageiro. E essa bagagem é o que somos, é a nossa essência. A memória guardada é o que somos, ela é nossa identidade. Nela mora nossas opiniões, pensamentos, crenças e sentimentos. E agora, começo uma nova jornada, desafios, portanto novas pessoas virão, novas experiências, novas histórias. Uma para fazer sentido, outras para acrescentar e até aquelas pra ser descartada, mas que sem elas eu não serei nada. Entretanto sei que tudo que vivi, vivo e vou viver, fará parte de mim, seja pra ser lembrado ou para ser esquecido. Falo de corpo, alma e coração. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim