Um dia

Fui bobo em acreditar em suas palavras. Você brincou, fingiu não saber o que queria, mas enganou-me com o velho clichê "o problema sou eu, não você". E agora, tenho que fingir ser forte, superar e não fraquejar quando você me cumprimenta, com o sorriso, que acaba comigo, dizendo "bom dia", como se nada tivesse acontecido. Seus olhos castanhos me hipnotizam e o seu perfume, que infelizmente não é exclusivo, parece meu nariz impregnar. Você ainda me faz querer te alcançar. Entretanto é em vão, você sempre consegue soltar minha mão. Depois de tanta indiferença, a solução é te esquecer. Mas como esquecer quem fez meu mundo parar e ao contrário girar?
Porém é perigoso continuar assim, é preciso querer ir, assim como você foi. Até os meus sonhos você abandonou, te vejo apenas de longe. O que ficou foi nossa história escrita, em linhas tortas. Confiei em você, desabafei coisas do meu coração. Disse a ti que, em minha mente acreditava, que se eu tivesse alguém pra chamar de meu, os problemas da vida simplesmente paravam de existir. Quanta ilusão! Eu vivia em um mundo paralelo de amores platônicos e você, mesmo ao saber disso, deixou-me somente com toda quimera. Aqueles contos de fadas com finais felizes, que nos contam quando somos crianças, acabam criando essa crendice de que se não tivermos alguém do outro lado da linha, nem com quem dividir o cobertor e muito menos a quem dizer te amo, não existe vida. Ainda acredito no amor. E na paixão também. Entretanto hoje não vejo motivos para sofrer tanto pela falta do mesmo. Quando damos um tempo para o tempo, aprendemos que não existe fórmula certa. Que se for pra acontecer, vai acontecer e será lindo, durante o tempo necessário. Seja um dia ou uma vida. 
Você foi um dia, mas um dia inesquecível e que deixou saudades, como lembrança momentos lindos e a vontade de rezar a Deus para que cuide de ti e te proteja, já que eu não pude fazer. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver