Não há vaga

O sol já se vai e eu aqui, ainda tentando entender algumas situações. O que realmente acho incomodo é o passado insistir em voltar tão facilmente. Você, que destruiu qualquer chance de um futuro entre nós. E deixou o meu presente sem alicerce. Essa era de corações descartáveis, que se satisfazem por dias, semanas e olhe lá. Lutou contra o amor que eu tinha pra te dar, mesmo eu estando tão ao seu alcance e em suas mãos. E quando me acostumei a mim sem você, aceitei a ideia de que não era eu, que você queria, reaparece. Chega com esse sorriso, que fez eu me encantar um dia. Definhei, mas consegui curar a dor, para agora você vim e dizer que mudou. O problema, veja bem, é que é ironia demais para ser ignorada. 
Um dia, você foi meu mundo. Foi o conto de fadas, que eu desejava, mesmo sendo as avessas. Entretanto, hoje, é apenas uma pessoa qualquer. O seu medo de tentar, nos fez perder uma história incrível, que agora é tarde demais pra ser escrita. Chega daquele aperto no peito, dessa indecisão, não há mais tempo pra reconstruir o que foi quebrado. Da sua boca, tempos atrás, saiu o mais óbvio e previsível clichê e essa lembrança ainda é tão viva em minha mente. Portanto, dê meia volta. Nossa página já não cabe mais uma linha, ainda mais torta. Não tenho mais estruturas para jogos e pistas, não há mais espaços e vagas para o que não vai fazer bem. Arrumei toda bagunça que deixou, por isso não tem como dar um novo fôlego, ao que diferença nunca fez.Tudo porque aprendi ser feliz e foi sem você.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim