Entre todas as coisas

Engraçado que quando te conheci, não foi óbvio que se tornaria inesquecível. Não foi desde o primeiro momento que imaginei que poderíamos ser um para outro. Não foi mágico o primeiro olhar, como nos filmes, muito menos romântico, até te achei estranho.
Porém aos poucos, estou gostando de você. Meu coração acelera quando te abraço e fico vermelho, quando nosso olhar se cruza. Gosto do seu bom humor, da timidez quando te elogio. E assim brincando, a paixão despertou e me controlo para um beijo não roubar. Você mal sabe, mas tenho sonhado contigo, todas as noites. E seus detalhes, já sei de cor. 
Sei que é tudo muito complicado, novo pra você. Existem muitos "ses" pra saber se existe nós. Não caibo na sua história. Que vontade em te pedir pra ficar, te ligar de madrugada, todavia não devo. Melhor deixar na amizade, quero evitar cicatriz que pode demorar se curar. Não é saudável esperar seu resgate, afinal não parece querer me acompanhar, mesmo diante do velho clichê "se não eu, quem vai fazer você feliz?". Só sei que enquanto você vive seus dias, me apaixono pelo seu sorriso mais ainda cada instante que passa, mesmo sabendo que não passará disso.
Contento-me com esse amor em silêncio, em torcer e acompanhar você. E nessa brincadeira segurar sua mão. A verdade é que eu não deveria, gostar de você. Não podia me envolver e te querer, entretanto entre todas as coisas, a única certeza é que te ver me faz bem, por isso peço que sempre fique um pouco mais. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver