Como eu te quero

Queria ter conhecido você em outra circunstância, talvez no meio de uma balada sem graça, num show da sua banda favorita ou num evento qualquer. Onde poderia ter chegado em você, ter esbarrado do nada e pedir seu telefone e até, quem sabe, te roubado um beijo. 
Devia conhecer você num ambiente onde a amizade não acontecesse antes da atração e eu não me visse obrigado a me segurar, pra não te assustar. Já faz um tempo que eu quero você, te vejo por perto e quero seu toque. Recolho meu afeto, pra não te espantar, mas quando nossos olhos se cruzam, você sorri, me confundindo e aumentando minha vontade, de lhe pedir ao menos um abraço. 
Você é o sentimento que eu tenho vontade de gritar, dizer que é lindo te ver dormir e questionar, se eu devo ficar ou se é melhor sair correndo. Eu nunca sei o que você quer. Penso em te ligar, mas tenho medo de você relutar em atender. Quero que caiba em mim, que me cause as coisas mais lindas, até porque como diz a canção, seria estranho se eu não me apaixonasse por você. 
Eu não devia dizer, mas te quero, caramba. Eu te quero e muito. Quero usar sua camisa depois do amor, te proteger da chuva e ser a sua primeira lembrança, quando o pânico apontar. Meu olhar é sincero, você não imagina o que faz comigo, é minha kriptonita, meu porto seguro. Todas as regras e clichês do amor, eu ignoro, nem a droga da reciprocidade importa.
Só preciso dizer como eu te quero, como gosto de ti. Se vai ter direito a beijo, abraço e espasmos nervosos nem quero saber. Se vou ter aquele bom dia, que fará toda diferença, sei lá. Mentira, tudo que quero é que você fique. Quero seu carinho, sua pele na minha, sentir seu perfume impregnar meu nariz. Porque, na verdade, eu preciso de você, apenas por uma vida toda. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver