Ritmo imperfeito

Hoje eu esbarrei com você e não foi na avenida movimentada. Ou no semáforo fechado. Esbarrei com você quando tocou a nossa música no meu iPhone. Aquela que eu jurava ter deletado. E agora os acordes trazem a falta que sinto, a saudade de te ligar para falar só um oi e de quando dividia comigo as coisas do do teu dia. E do sorriso que abria quando eu contava que sonhei contigo e do ritmo perfeito que a gente tinha. Entretanto também lembrei da nossa última conversa e de como me deixou sem respostas. Da chuva que caia, misturando-se as minhas lágrimas, enquanto via seu carro virando a esquina. 
Sei que foi bobeira minha acreditar que era a pessoa certa, pois ninguém é a pessoa certa para alguém, é apenas um caminho. Sempre soube que não iria ficar, que não queria ficar, mas sei lá, você me fazia bem. Tinha o dom e o jeito que me olhava, me fazia enlouquecer. Mas era nítido que ia embora, nunca fez questão de me segurar pela cintura. O fim era questão de tempo. Não tinha sorte, nem destino, apenas não era a mesma vibe. 
Depois de um tempo meu coração voltou a bater, vi os filmes que não podia ver contigo porque não gostava. Até passei a estudar de novo e dar início aos planos que abandonei tentando me dedicar a nossa relação. Fiquei bem e até me diverti, pois depois de uns meses, com ou sem você o sorriso bobo aparece no rosto. E até dá pra rir de algumas piadas ridículas. 
Amores fracos chegam ao fim e sempre foi assim. A verdade é que pelas estatísticas não era pra ser, porém também podia ser. Tive que tentar, até ver você partir. Agora fui traído pelo modo aleatório. Esbarrei em você, colidi em aquilo que a gente foi. Conversas, sorrisos incertos, fotos, os abraços e as mãos dadas. E toda força para superá-lo. Tudo veio como um flash back em que as cenas falam por si. Não foram encontros memoráveis, pareciam ocos, meio vazios. Mas ao mesmo tempo parecia um sonho bom, do jeito que eu te quis, nunca ninguém vai querer. Entretanto parei de esperar você voltar para me dar um beijo. Porque quando a ficha cai, quando dá o estalo, a gente cai em si e supera. Faz tempo que foi embora e não me levou contigo. E percebi que não precisava mais de você, demorou, mas percebi. O tempo curou a dor que sentia. Desculpe esbarra em ti e ainda te dizer tudo isso. Mas só agora entendi o quanto o nosso ritmo na verdade era imperfeito. E foi inevitável a despedida. Fazer o que hein?!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim