Haja Coração

Perdoe a bagunça aqui dentro e o coração cheio de marca das porradas que levei. Ainda têm umas dores e uns dessabores, mas já estou pronto para me encantar com as coisas simples que pode me oferecer. As lembranças ruins e os pesadelos de vez em quando aparecem, entretanto ainda sei sonhar. E vou valorizar os encontros com você e sei que a vida vai ser melhor se tiver tua companhia. Até desculpe se eu usar um arsenal de clichês para te conquistar, mas não deixe de reparar em meu perfume e diga que pensa em mim, quando sentir esse cheiro por aí. 
Ainda acredito em sentimentos, dou bola para música romântica e gosto de assistir um filme com final feliz, só não faço mais questão de flores e que me leve para jantar, nem se preocupe com aniversário de namoro ou em reparar se cortei o cabelo, pode apenas segurar forte minha mão, dando a impressão que se o mundo caísse ali, eu me salvaria, de tão protegido que estaria. As histórias mal resolvidas, as cicatrizes e os velhos telefonas foram superados, porém perdoe se eu ainda chorar, gritar ou ter medo de ficar. Só preciso que me abrace, mesmo sem eu pedir. Pode salvar meu coração, nele ainda tem espaço pra você, basta ajeitar tudo. 
Claro que quero que entre, nem precisa bater. Ofereço casa, comida, carinho e companheirismo, mas você tem encarar todo o resto. Pode até me fazer acordar com aquela felicidade matinal, mesmo que eu odeie pessoas felizes pela manhã. Permito que meu sorriso seja melhor quando tem o seu para acompanhar, porém prometa que não estragar tudo, pois não dou mais conta de ter que ser nada. Cansei de amor estragado, até me perdoe o drama e não desista de mim. Mas cansei de não está bem. Vire a pessoa dos meus sonhos, tire meu medo e assim toda minha imaginação vai evaporar.
Desculpe se não é fácil, mas é que em mim tudo é intenso, do amor a dor. Da entrega ao desprezo e haja coração para isso. Quero te entregar minhas horas livres, meus gostos, minha atração e a estranha mania de amar sem medida. Só espero que perdoe a bagunça que tem que encarar, a confusão que trago no peito e as feridas que ainda secam. Entretanto por trás de todo o caos, estou aqui, deixando que complete os meus vazios. Pode vim, sem medo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver