Vergonha na cara

Você não era parte dos meus planos, mas de repente estranhamente podia me fazer feliz. Nem sei o que via em ti, pois não faz meu tipo e muito menos tem um jeito interessante. Eu e você nem rima. Mas fiquei atraído por você, de uma forma que nem sei explicar. Ficava distraído, pensando em ti e sorrindo com vontade. Desejava seus beijos, pois tinha certeza de que ele tinha poder curativos.
Entretanto a gente não colidiu. Acreditei que contigo seria diferente, mas no fim foi extremamente igual. Portanto decidi te esquecer. Porém esquecer é uma droga. Eu tentei, não pense que não. Decidi sair mais, te evitar e até promessa fiz. Conheci outras pessoas, conversei, dei chance até aos amigos dos amigos. Pura enrolação, você ainda era presente. 
Nossas fotos ainda estão na minha galeria, porque nunca quis jogar nós dois no lixo. Era com você que eu queria enfrentar o mundo, ter a sensação de morrer de medo de não dá certo e de continuar tentando. O que o outro alguém tem que não tenho? Diz que assim eu mudo, pois te quero pra mim, então faço o que for. Não tenho mesmo vergonha na cara. Você me aconteceu de forma insana, portanto pensar em agir de forma correta, está fora de cogitação. Sei que foi a pior coisa que aconteceu na minha vida, porém não consigo te deixar ir. É ruim com você, mas pior ainda sem. Quero insistir mais nisso, só mais uma vez, pois ficar longe só me fez perceber que quero ficar ainda mais perto. Eu não posso te deixar ir, porque não consigo escrever um texto assim colocando um ponto final, por isso mesmo, escrevo ele com reticências...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim