Eu amei te ver

A gente se reencontrou e pude ver que você ainda é o mesmo. O coração até disparou quando você caminhou e parou ao meu lado. Claro que deu vontade de elogiar seu cabelo, perguntar se gostou do livro que estava lendo e até dizer que você é o ser mais bonito que tive a sorte de conhecer. Você até sorriu e brincou comigo, daquele jeito de sempre. O seu perfume até invadiu, porém os sentimentos continuaram adormecidos.
É bom saber que você está bem, mesmo distante. Aliás, quero que continue distante. Percebi que meu riso não combina com o teu e que tua malícia não satisfaz a minha. Tropecei na saudade, mas a deixei para trás. Teus olhos até tentaram focar nos meus, entretanto desviei o olhar. E nem foi por mal, foi automático e ponto. Do seu lado não é seguro, aprendi dizer não, resisto e não corro mais risco. Não tem mais intimidade nas nossas falas, nos toques, nada nos resta. Apenas somos meros conhecidos e com amigos em comum. 
Não quero mais que me abrace com força, que se aloje nos meus olhos e que me cumprimente com dois beijinhos. Tuas manias e cacoetes não vão mais me estremecer e tenho dito. Quero descanso de você, cansei de ser inteiro e nem um terço seu receber. Mais de ti, não quero ter. Agora é hora de me reconhecer, não desmoronar com seu sorriso bobo. Você me deixou partir, nunca pediu que eu ficasse, por mais que eu tivesse a sua disposição e o meu coração rastejasse por sua atenção. Tuas mentiras, nem mesmo, as sinceras, me interessam mais. A gente não ia dar certo e eu demorei admitir isso para mim mesmo. 
Eu amei te ver e não me reconhecer em você. Eu amei te ver e constatar que, por você, não sinto mais nada. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim