Como quer brincar de amor?!

Eu consigo, com alguns dias te encaixar na minha rotina. Ou você prefere ir mais contido? Num estalar de dedos, posso nem mais lembrar dos tempos em que não estava aqui. Posso responder suas mensagens na hora, sem esconder o imediatismo que causa em mim. Ou você é daqueles que gostam de joguinhos e de gente que se faz de difícil?
Você tem dificuldade com conversas longas, olhares demorados? Eu posso falar pouco e controlar a vontade de te encarar. Achei que sua mão tem o tamanho certo para guardar a minha, porém estou pensando se já devo lhe dizer, ou espero um tempo. Posso gritar por aí o que sinto ou você prefere que tudo aconteça como não quer nada? Talvez eu devesse te contar sobre as cicatrizes que acabei ganhando nos últimos anos e que estão marcadas em mim, como se fossem tatuagens. Se bem que, posso te confundir, visto que mesmo assim, não desisti de tentar e ainda me entrego inteiramente. 
Sim, eu tenho coragem de amar outra vez. Mas se você preferir posso não fazer a linha intenso. Tenho pensado em como faço para ir com calma e não atropelar a gente. Como coloca o pé no freio, quando se tem certeza? 
Você quer me dar a mão e vim de vez comigo? Ou, sei lá, vamos tentar aos poucos. Tenho paciência, prometo. Chego devagarzinho para que você não precise se acovardar. Posso te fazer chorar de emoção enquanto sorri de felicidade. Deixa? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Milhões de vezes

As coisas que nunca te disse

Eu amei te ver