Contumaz

Tomo um banho demorado e choro. Não vou sufocar essa dor não. Dói admitir, mas nossa história nunca teve um sinal de que ia dar certo. Você nunca nem se deu o trabalho de fingir interesse. Nossos amigos em comum e o dia a dia, mantiveram nosso contato automático. Depositei minhas fichas e energias, mas não era pra valer. Eu me importei, corri atrás e até beijei diversas bocas, só para chamar sua atenção, e você nem aí. É, não deu.Percebi que insistir em você é o mesmo que cair de cabeça, numa piscina sem água. Ofereci meu peito para ser teu abrigo, porém você fez o fardo ficar pesado demais. Passei me odiar desde o momento que sabia que me apaixonaria por você e deixei acontecer. Tenho que conseguir controlar o coração e te cumprimentar com um aperto de mão, desviando dos teus olhos e do maldito sorriso lindo. Preciso ignorar esse efeito que tem em mim, até mesmo quando é de fingir não ligar. Não quero falar que fica mais lindo ainda com teus cabelos arrepiados e preciso esquecer que teus olhos são a primeira coisa que os meus olhos queriam enxergar pela manhã. Penso em como tudo foi andando para nos conhecermos o tanto que a gente se conhece hoje, mas em contra partida, parece que não sei nada de você, pois preferiu descartar, antes mesmo de construir. Queria falar que é fácil gostar de você, entrar nas tuas conversas, mas tive que sentenciar a mim mesmo, que mereço ser feliz. E isso você não me faz. Teve momentos que você me fez sentir-se único, especial, que cheguei acreditar que de mansinho chegaria ao teu coração. Entretanto de repente, a sua indiferença tão presente, insiste em latejar. E a mim só restou desistir, não ser mais contumaz. Agora odeio o pensamento de que esse amor não morra com o tempo. Porque o meu amor, que é o seu amor, eu quis em vão, que fosse o nosso amor. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sou de gêmeos

Está demorando eu te esquecer

Antes do fim